“A pandemia nos ensina que a normalidade é apenas uma ilusão”

Trecho da entrevista com Piero Cavaleri do LAO – Por Rocco Gumina ( 31 de março de 2020)

Em apenas algumas semanas, a pandemia do COVID-19 mudou os estilos de vida estabelecidos há muito tempo. Além de ter um impacto em nossa dimensão social, essa mudança repentina
leva a um estresse psicológico inesperado capaz, se adequadamente abordado, de reavaliar algumas dimensões fundamentais de nossa existência individual e coletiva. Sobre esse assunto,
entrevistamos Piero Cavaleri (Professor contratado da Faculdade de Ciências da Educação Auxilium e professor comum da Escola de Especialização em Psicoterapia do Instituto Gestalt HCC Itália, Cavaleri é o presidente da associação “PiùCittà” estabelecida em Caltanissetta para o desenvolvimento de boas práticas sociais e políticas).

A pandemia de COVID-19 mudou radicalmente nosso estilo de vida. Todos nós, ou quase todos, sentimos saudades da normalidade, mesmo cheia de problemas e prazos. No entanto, o
período que estamos passando nos convida a repensar a chamada normalidade. O que é normal? Como repensar isso?

Piero Cavaleri: “Normalidade” é apenas uma ilusão que o homem moderno desenvolveu nos últimos séculos para se tranquilizar. Mas, na realidade, a normalidade não existe! A cultura moderna, da qual somos filhos, atribuindo infinito poder à ciência e desprezando os laços comunitários, nos fez acreditar até agora que tudo pode ser “controlado” e “previsto” pelos cientistas. A ilusão de que a “normalidade” existe é o resultado de um paradigma cultural dominante, pelo qual toda a natureza, aquela que nos rodeia e aquela que vive em nós, pode ser mantida sob controle pelo conhecimeno científico. Mas não é assim! Basta olhar para a emergência climática, os desastres naturais, os fluxos migratórios, as pandemias, como a que está perturbando nossas vidas agora. É necessário admitir, indo além dos mitos modernos, que a normalidade não existe e que a realidade sempre e imprevisivelmente se retira de qualquer “controle”.
Devemos aprender, com grande humildade, a não falar mais de “normalidade”, muito menos de “emergência”! No horizonte enganoso da cultura moderna, “emergência” é tudo o que momentânea ou casualmente escapa à onipotência do conhecimento científico. Devemos perceber, no entanto, que a vida é um devir contínuo, uma emergência constante, que nunca se acalma e nunca “normaliza”! Ao longo de sua história milenar, a família humana aprendeu a se defender da instabilidade e insegurança da vida recorrendo aos seguintes fármacos: a coesão social, o compartilhamento e a solidariedade. Cultura, religião, instituições comunitárias e a própria ciência nada mais são do que uma “resposta coletiva”, que a família humana deu ao longo do tempo ao surgimento contínuo de sua vida instável, que exatamente não conhece “normalidade”. É colocando-nos dentro da comunidade, de um horizonte de solidariedade e compartilhamento, que a ciência pode se libertar dos enganos da modernidade e voltar a ser “humana”.

(Fonte: https://lantennaonline.it/2020/03/31/la-pandemia-ci-insegna-che-la-normalita-e-solo-unillusione-intervista-a-piero-cavaleri/)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s